Combined Approach Matrix

CONCEITOS

As diferentes áreas do conhecimento demandam ferramentas específicas para que se encontre os corretos meios de se definir as prioridades de determinados projetos. Estas ferramentas delimitam o escopo de trabalho, através de ações que minimizam o nível de subjetividade neste processo.

Por diferentes motivos, é sabido que o direcionamento de qualquer esforço em uma organização nem sempre é orientado para a obtenção de seus objetivo estratégicos. Elementos como prioridades específicas dos diferentes stakeholders, turbulências no cenário da organização e expertises naturais identificados tendem a fazer com o que o projeto seja elaborado pela lei do menor esforço, que nem sempre é o mais inteligente a se fazer.

Com base nisso, para projetos de pesquisa relacionados à área da saúde, o Global Forum for Health Research desenvolveu, em 2004, a Combined Approach Matrix – Matriz de Abordagens Combinadas, que apresenta um método para a correta “recolha, organização e a análise de informações necessárias para para o estabelecimento de prioridades” (The Combined Approach Matrix: A priority-setting tool for health research, 2004). Este método visa reduzir a relação 10/90, na qual somente 10% dos recursos investidos na saúde  são destinados para 90% dos problemas hoje presentes no mundo.

Pra saber, o Global Forum of Health é uma organização internacional independente que visa demonstrar a importância da pesquisa e inovação para a saúde e para a equalização da saúde no mundo. É no mínimo um objetivo nobre.

MATRIZ DE ABORDAGENS COMBINADAS

Esta matriz (ISBN 2-940286-26-4), estabelece uma sequencia lógica de ítens a serem levantados para sua composição. Avalia-se que devem participar deste levantamento os atores principais de saúde, cruzados com determinados tipos de informações sobre cada doença, de acordo com o seguinte quadro:

A definição para cada linha:

  • Carga da doença – constatação do tempo de vida perdido em decorrência da doença, devido a mortalidade, morbidade ou deficiência prematura.
  • Determinantes – causa raiz da permanente relevancia da doença.
  • Nivel atual de conhecimento – relatórios, literatura internacional e carga de pesquisa debruçada sobre a conteção da doença em foco.
  • Custo-efetividade – análise do impacto de pesquisas e potenciais intervenções com relação a carta da doença.
  • Fluxo de recursos – cálculo do investimento atual direcionado para pesquisa em doenças específicas e determinantes.

E as colunas:

  • Indivíduo, família e comunidade – elementos relevantes para promover a redução da carga da doença que podem ser modificado no âmbito individual, familiar ou comunitário. Incluem ações de reposicionamento cultural e atuação na saúde básica.
  • Ministério, secretarias estaduais, municípais e demais instituições de saúde – apresenta as contribuições dos sistemas de saúde para o controle de doenças. Fecha o foco em internvenções biomédicas, políticas e estruturas e potencial da comunidade científica para dar resposta aos estímulos de pesquisa.
  • Outros setores da sociedade – destaca causas externas ao sistema de saúde. Por exemplo: papel do setor de transportes nos acidades de trânsito.
  • Definidores de políticas macroeconômicas – avalia políticas nacionais e internacionais relacioadas com a enfermidade. Por exemplo: possibilidade da quebra de patentes para tratamento de portadores de HIV.

APLICAÇÃO

A aplicação da CAM possibilita definir, gradativamente, prioridades de pesquisa em saúde nas esferas global, regional, nacional ou local. A Matriz é uma ferramenta útil para organizar, apresentar e resumir as evidências constatadas, possibilitando identificar prioridades de pesquisa em saúde a partir das lacunas de conhecimento.
Em resumo, a CAM apresenta as funções listadas a seguir:
  • Reune, de forma sistemática, todas as informações atualmente disponíveis sobre uma doença específica ou fator de risco.
  • Identifica lacunas de conhecimento e desafios futuros.
  • Relaciona, ao definir prioridades, as dimensões econômicas (processo de cinco fases) com as dimensões institucionais (atores e fatores), permitindo determinar a situação de saúde da população.
  • Permite identificar as características comuns entre as doenças e fatores de risco.
  • Possibilita definir prioridades com base nos problemas locais, nacionais, regionais ou globais.
  • Auxilia, principalmente, o processo de definição de prioridades de pesquisa em doenças e fatores de risco.
  • Viabiliza relacionar problemas de saúde com problemas de pesquisa;
  • Permite identificar rapidamente os efeitos que uma mudança em um compartimento (célula) da Matriz pode acarretar sobre os demais;
  • Torna possível avaliar diversos fatores externos ao setor saúde, os quais também produzem impactos significativos à saúde da população.
É importante ter presente, contudo, que a CAM sintetiza o conjunto de evidênciasdisponíveis para se eleger prioridades de pesquisa em saúde, mas não se constitui, elaprópria, em um algoritmo ou fórmula que estabelece tais prioridades.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s