Combined Approach Matrix

CONCEITOS

As diferentes áreas do conhecimento demandam ferramentas específicas para que se encontre os corretos meios de se definir as prioridades de determinados projetos. Estas ferramentas delimitam o escopo de trabalho, através de ações que minimizam o nível de subjetividade neste processo.

Por diferentes motivos, é sabido que o direcionamento de qualquer esforço em uma organização nem sempre é orientado para a obtenção de seus objetivo estratégicos. Elementos como prioridades específicas dos diferentes stakeholders, turbulências no cenário da organização e expertises naturais identificados tendem a fazer com o que o projeto seja elaborado pela lei do menor esforço, que nem sempre é o mais inteligente a se fazer.

Com base nisso, para projetos de pesquisa relacionados à área da saúde, o Global Forum for Health Research desenvolveu, em 2004, a Combined Approach Matrix – Matriz de Abordagens Combinadas, que apresenta um método para a correta “recolha, organização e a análise de informações necessárias para para o estabelecimento de prioridades” (The Combined Approach Matrix: A priority-setting tool for health research, 2004). Este método visa reduzir a relação 10/90, na qual somente 10% dos recursos investidos na saúde  são destinados para 90% dos problemas hoje presentes no mundo.

Pra saber, o Global Forum of Health é uma organização internacional independente que visa demonstrar a importância da pesquisa e inovação para a saúde e para a equalização da saúde no mundo. É no mínimo um objetivo nobre.

MATRIZ DE ABORDAGENS COMBINADAS

Esta matriz (ISBN 2-940286-26-4), estabelece uma sequencia lógica de ítens a serem levantados para sua composição. Avalia-se que devem participar deste levantamento os atores principais de saúde, cruzados com determinados tipos de informações sobre cada doença, de acordo com o seguinte quadro:

A definição para cada linha:

  • Carga da doença – constatação do tempo de vida perdido em decorrência da doença, devido a mortalidade, morbidade ou deficiência prematura.
  • Determinantes – causa raiz da permanente relevancia da doença.
  • Nivel atual de conhecimento – relatórios, literatura internacional e carga de pesquisa debruçada sobre a conteção da doença em foco.
  • Custo-efetividade – análise do impacto de pesquisas e potenciais intervenções com relação a carta da doença.
  • Fluxo de recursos – cálculo do investimento atual direcionado para pesquisa em doenças específicas e determinantes.

E as colunas:

  • Indivíduo, família e comunidade – elementos relevantes para promover a redução da carga da doença que podem ser modificado no âmbito individual, familiar ou comunitário. Incluem ações de reposicionamento cultural e atuação na saúde básica.
  • Ministério, secretarias estaduais, municípais e demais instituições de saúde – apresenta as contribuições dos sistemas de saúde para o controle de doenças. Fecha o foco em internvenções biomédicas, políticas e estruturas e potencial da comunidade científica para dar resposta aos estímulos de pesquisa.
  • Outros setores da sociedade – destaca causas externas ao sistema de saúde. Por exemplo: papel do setor de transportes nos acidades de trânsito.
  • Definidores de políticas macroeconômicas – avalia políticas nacionais e internacionais relacioadas com a enfermidade. Por exemplo: possibilidade da quebra de patentes para tratamento de portadores de HIV.

APLICAÇÃO

A aplicação da CAM possibilita definir, gradativamente, prioridades de pesquisa em saúde nas esferas global, regional, nacional ou local. A Matriz é uma ferramenta útil para organizar, apresentar e resumir as evidências constatadas, possibilitando identificar prioridades de pesquisa em saúde a partir das lacunas de conhecimento.
Em resumo, a CAM apresenta as funções listadas a seguir:
  • Reune, de forma sistemática, todas as informações atualmente disponíveis sobre uma doença específica ou fator de risco.
  • Identifica lacunas de conhecimento e desafios futuros.
  • Relaciona, ao definir prioridades, as dimensões econômicas (processo de cinco fases) com as dimensões institucionais (atores e fatores), permitindo determinar a situação de saúde da população.
  • Permite identificar as características comuns entre as doenças e fatores de risco.
  • Possibilita definir prioridades com base nos problemas locais, nacionais, regionais ou globais.
  • Auxilia, principalmente, o processo de definição de prioridades de pesquisa em doenças e fatores de risco.
  • Viabiliza relacionar problemas de saúde com problemas de pesquisa;
  • Permite identificar rapidamente os efeitos que uma mudança em um compartimento (célula) da Matriz pode acarretar sobre os demais;
  • Torna possível avaliar diversos fatores externos ao setor saúde, os quais também produzem impactos significativos à saúde da população.
É importante ter presente, contudo, que a CAM sintetiza o conjunto de evidênciasdisponíveis para se eleger prioridades de pesquisa em saúde, mas não se constitui, elaprópria, em um algoritmo ou fórmula que estabelece tais prioridades.
Anúncios