Gestão contemporânea e jogos de interpretação

CONCEITOS

Os jogos de interpretação ou roleplaying games (RPG) vem sendo utilizado em várias áreas da administração contemporânea. A gestão do conhecimento entende o storytelling como uma ferramenta pra manter nas organizações o conhecimento dos colaboradores. A experiencia de simulação em grupo tem sido usada cada vez mais pra resolver conflitos em recursos humanos. Dentro da exploração de cenários, as histórias conjuntas tem trazido elementos vivenciais e qualitativos sobre como os líderes da organização devem se portar frente as tomadas de decisão que envolvam risco e conflitos. Os alternate reality games são utilizados para permitir uma interação concreta entre o cliente e a marca/cultura organizacional.

Este post apresentará algumas características dos jogos de interpretação e em sua aplicação, um roteiro-base para uma “sessão” de RPG.

RPG

O Rpg é um jogo que surgiu oficialmente em 1974, quando do lançamento do jogo Dungeons & Dragons, pelo recém falecido Gary Gigax e seu amigo Dave Arneson. Na época, ele era jogado como uma evolução dos jogos de estratégia. Ao invés de somente se jogar os movimentos de tropas de ataque e defesa, o cenário da guerra e a reação dos exércitos foi mais humanizada.

Estruturalmente, o RPG deve ser jogado em duas instâncias. A primeira é restrita a imaginaçao, na qual histórias são construidas e narradas para jogadores que respondem por interpretar personagens que vivenciam as experiências e colocam seus elementos no jogo. O “mestre do jogo” define qual será o destino do mundo e os jogadores intervem neste destino maior com um certo livre arbítrio. No fim das contas tudo acaba acontecendo como o mestre prevê. Mais ou menos como são as coisas de verdade.

Outra instância é vinculada às regras, que determinam estatísticamente se o que teu personagem disse que queria fazer, ou que o mestre do jogo disse que iria acontecer, pode realmente ocorrer. Geralmente os RPGS mais voltados para entretenimento usam aqueles dadinhos coloridos e com vários lados, (diferentes dos dados de 6 lados que a gente usa pra jogar general) no seu sistema estatístico. RPGS mais elaborados podem utilizar simuladores de indicadores organizacionais ou simplesmente abolir esta instancia e conduzir todo o jogo somente na imaginação.

Há ainda quem diga que o rpg ocorra em outra instância, a social, na qual as pessoas ao redor da mesa interagem FORA DO JOGO, sobre coisas DO JOGO e esta interação influencia os resultados da aventura, vinculado o jogador ao personagem. Eu prefiro não levar esta em conta por quebrar o principal objetivo do RPG: interpretação de papéis.

APLICAÇÃO

A estrutura de uma sessão de RPG deve ser conduzida como a criação de uma história, com alguns cuidados que transcendem a estrutura de introdução, desenvolvimento bipartite e conclusão.

1. Todas as pessoas que interagem com os personagens devem ter sua personalidade bem definida, de modo que não pareça que são todos mesmos robôs saidos da mesma fábrica.

2. O ambiente deve favorecer a condução da sessão. Pouco som ou música ambiente, luz adequada, nenhuma interrupção podem contribuir tanto para o sucesso da aventura quanto a própria história narrada em si.

3. Utilize-se de “hand outs”. Quando possível, traga veracidade para a aventura. Se por exemplo a sessão é sobre espionagem industrial, traga documentos de aparência oficial, depoimentos feitos por pessoas reais, fotos, tudo que possa passar verossimilhança para a aventura.

4. Esteja preparado. Na medida em que os jogadores irão tentar pender o destino para lhes favorecer, esteja preparado para ter que lidar com idéias altamente controversas a linha de desenvolvimento que você está pensando. Se em um determinado momento da sessão você conta que os jogadores decidam viajar de trêm, pois quer introduzir um elemento na história que depende disso, esteja preparado se algum sugerir: VAMOS VIAJAR DE BALÃO.

5. Histórias de ação e aventura são mais interessantes que dramas ou documentários. Inclua SEMPRE ação na sessão. Uma briga, discussão acirrada, roubo, acidente de carro… enfim, coisas do dia a dia na qual os jogadores terão que lidar com o stress de seus personagens.

4 Comments

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s