Gestão do Conhecimento

CONCEITOS

Gestão é a prática de organizar, planejar, liderar e acompanhar a prática de um processo. Discute-se a qualidade da Gestão como Ciência. Hoje, ela é comparada com a Administração da seguinte forma: gestão tem meta, administração não. Conhecimento é mais difícil de se definir: há uma linha da filosofia que trata intensamente do conhecimento, chamada epistemologia. Ao conhecimento cabem inúmeras definições. Para este post, considera-se Conhecimento como informação aplicada. A Gestão do Conhecimento é, portanto, o conjunto de práticas para organizar, planejar, liderar e acompanhar a informação aplicada nas organizações.

GESTÃO DO CONHECIMENTO

Historicamente, a pesquisa e o desenvolvimento sempre permearam as instituições. A constante busca pelo saber é definida como diferencial competitivo de qualquer empresa, mesmo que o produto vendido seja uma commoditie. No entanto, a era da informação (mesmo que eu não concorde que estejamos nela), nos leva a pensar em um processo mais estruturado de acompanhamento da produção de informação e conhecimento das organizações. Hoje assisti uma palestra de um doutor chamado Terra. O paralelo que ele fez, e que eu achei bem próprio, foi sobre as semelhanças de hoje e a gestão do conhecimento com 20 anos atrás e a gestão pela qualidade. A necessidade de se ter processos mais bem definidos e padronização levou as organizações a se qualificarem. Da mesma forma, hoje é necessário não se perder nenhum tipo de dado produzido, e mais: deve-se cada vez mais incentivar a criação de novos conhecimentos para as organizações.

Os métodos, segundo Terra, são:

Identificação, geração e captura de idéias
Colaboração e aprendizagem corporativas
Aprendizagem em projetos
Acesso à informações
Aprendizado com o ambiente
Treinamento e transferência de know-how
Proteção à informaçãoAplicação

APLICAÇÃO

Antes de se pensar nas ferramentas de Gestão do Conhecimento, cabe pensar que, assim como a Gestão da Qualidade, trata-se de uma forma de se olhar para toda a organização. Acredito que ter uma visão processual bem definida, com algum programa de qualidade implementado, facilita, uma vez que metrificar conhecimento é MUITO mais difícil que tempo de atendimento, por exemplo. Instituições reorganizam todos seus procedimentos para facilitar fluxos de informação. Não são raros os casos nos quais MUDAM DE PRÉDIO para facilitar a interação entre os funcionários. A Gestão do Conhecimento, quando abordada no nível estratégico, pode compreender a compra de uma nova empresa, caso não se tenha tempo para pesquisa ou capacitação. Quer dizer, a coisa é extremamente séria.

De verdade, eu nunca implementei um sistema de Gestão do Conhecimento. Só algumas ferramentas isoladas que me possibilitaram ter uma visão do que o assunto trata. O que eu entendi é que, independente da ferramenta, duas coisas são claras: é necessária a extensa formalização de todo o processo (desde o estímulo a produção de conhecimento até a checagem do resultado da implementação do conhecimento produzido) e que a coisa toda toma TEMPO. Muito tempo. Redigir os processos, compartilha-los, ler processos de outras pessoas… há que se ter tempo e paciência.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s